O Mestre do Oculto: Arthur Machen

Hoje recebi minha cópia do livro Arthur Machen – O Mestre do Oculto. Não sei se vocês conhecem o galês, mas ele foi um dos principais autores de terror do século XVIII e influenciou diretamente H.P. Lovecraft. Bem, isso já quer dizer muito hein? Então não se surpreenda pelo próprio cavalheiro de Providence ter escrito que Machen era um dos quatro “mestres modernos do horror sobrenatural”!

Aqui no Brasil o escritor é pouquíssimo conhecido, passando despercebido pela maioria, se mantendo restrito aos círculos de leitores mais ávidos pela literatura de terror (e mesmo assim, apenas aqueles que vão mais a fundo nas raízes do estilo). Antes dessa publicação, só tínhamos por aqui apenas um livro editado pela editora Iluminuras, outro pela Penalux e dois ou três contos em coletâneas; mas nenhum mostrava a verdadeira a força desse mestre do terror.

Arthur Machen – O Mestre do Oculto é mais um trabalho impecável da Editora Clock Tower que vem ano a ano se dedicando em trazer para um material de qualidade (tanto gráfica quanto em termos de conteúdo) sobre as bases mais profundas da literatura de terror.

O livro traz um prefácio sobre o relacionamento literário entre Machen e Lovecraft, escrito por S. T. Joshi, um critico literário e novelista norte-americano que é, também, uma verdadeira autoridade nesses autores (além de Ambrose Bierce). Como em toda obra da Clock Tower, a publicação traz uma biografia caprichada do autor, sempre contando com bastante material e incluindo fotos incríveis. Dessa vez a biografia é assinada pelo professor e doutor em ciências sociais, Edgar Indalecio Smaniotto.

A maior parte do material é inédita no Brasil, e mesmo no caso dos contos que já haviam saído por aqui, trata-se de uma tradução nova e exclusiva para essa edição. Por falar nisso, temos aqui os oito principais contos escritos pelo galês e sua principal novela: O grande deus Pã. Aqui vale destacar que a novela causou um grande alvoroço quando foi publicada na Londres de 1894, devido à violência em torno da história, o conteúdo sexual e as referências pagãs. O célebre escritor Stephen King afirma que a novela é “uma das melhores histórias de terror já escritas, talvez a melhor no idioma inglês”

É um livro com menos de 300 páginas que fica bonito numa estante e acrescenta bastante aos leitores de histórias de terror. A arte de capa é simples, mas bem bacana e o papel Polen Soft amarelado está na medida certa, alinhado à boa diagramação das páginas.

Editora Clock Tower

Idealizada por Denílson E. Ricci depois de anos de trabalho com o Site Lovecraft, a editora nasceu em 2012 com a publicação – em forma de financiamento coletivo – do livro O Mundo Fantástico de H.P. Lovecraft. Desde o início o objetivo era o de publicar grandes obras e autores esquecidos do passado e que não têm um apelo comercial que justifique grandes editoras de trabalhar em uma edição.

A Clock Tower se dedica à ficção fantástica de horror, produzindo livros que vão além do ofício de traduzir e publicar, evocando a aura dos antigos círculos literários, quando diversos escritores trocavam informações e impressões sobre essa literatura. Inclusive grande parte da força para a criação da editora veio de um antigo grupo de e-mails do Yahoo, que debatia a literatura de horror, principalmente Lovecraft e afins, chamado Culto Lovecraftiano, do qual fiz parte entre 2002 até seu fim no final de 2015.

Entre os ótimos trabalhos realizados pela editora estão:

O Mundo Fantástico de H.P. Lovecraft – Lovecraft

O Mundo Sombrio: Histórias dos Mitos de Cthulhu – Robert E. Howard

O Rei de Amarelo – Robert W. Chambers

A novidade é que o próximo livro a ser trabalhado pela editora, ainda este ano, será “The Night Land”, de William Hope Hodgson. Aguardemos!

 

Comments

  1. Ótima matéria, só senti falta de saber quem assina o texto. Rs.
    Obrigado pelas dicas de leitura! Grande abraço.

    1. Olá Vini! Ficamos feliz que tenha gostado do artigo, logo vai sair mais um nesses estilo 🙂

      Quem assina sou eu, Janary Damacena :p

      Grande abraço!

Leave a Comment