Greyhawk


É uma terra mágica com estradas que levam a incontáveis possibilidades. O mais fantástico universo entre os diversos existentes! Essa região situada no mundo de Oerth é um local em que criaturas poderosas contrastam com a humanidade e outras raças, e onde as forças do bem lutam contra o mal, a ordem disputa contra o caos. É uma terra de magia, mistérios e imaginação, além de ser o primeiro grande cenário para histórias de Dungeons & Dragons.

Capítulos da nossa aventura

Terras de Oerth

Flannaes – É uma vasta porção de terra do continente de Oerik (que por sua vez situa-se no mundo de Oerth). É nessa grande região onde encontramos os diversos reinos por que se passam as aventuras de Greyhawk.


Condado de Urnst – Estado político governado por uma monarquia feudal, dividido entre baronatos. É uma região pacífica e ligada ao bem, onde os humanos são predominantes, seguido de halflings, elfos e anões.

Shield Lands – Uma nação de cavaleiros e guerreiros honrados, seguidores de Heironeous. Formada por vinte e três domínios livres, o reino foi devastado pela guerra e ainda hoje tem parte do território ocupado pelas forças do deus maligno Iuz. Humanos são predominantes, seguido de halflings, elfos e anões.

Veluna – Reino teocrático regido por duas organizações religiosas, e dividido entre sete Dioceses. É uma região de paz, tranquilidade e razão, onde os humanos são predominantes, seguido de elfos, gnomos e halflings.

Diocese de Kempton – Um dos sete territórios administrativos do reino de Veluna, que é regido pela igreja de Rao, o deus da calma e da paz.

Lorrish – Uma cidade de médio porte do reino de Veluna, e capital da região administrada pela Diocese de Lorrish. Localiza-se numa região de planícies e florestas e possui estradas que ligam às maiores cidades do reino.

Shandalanar – Cidade de pequeno porte do reino de Veluna, localizada em uma região de florestas e costa montanhosa. Fica na região administrada pela Diocese de Kempton.

Deuses do Panteão


Heironeous – Senhor da guerra, honra e justiça. É o deus campeão das batalhas pelo bem e o correto. Conhecido também como “O invencível” e “O valoroso guerreiro”.


Pelor – Rei sobre tudo que é vivo. É o deus Sol, da Luz, força e da cura. Um dos mais poderosos e adorados deuses da bondade. Conhecido também como “O Pai Sol” e “O primeiro brilho”.


Rao – Deus da calma e da paz. Representado por um homem negro, de cabelos brancos, é ligado ao Conhecimento e à Ordem. Dedico ao combate do mal, prefere agir por meio de artefatos mágicos.


Saint Cuthbert – Deus da verdade, honestidade e disciplina. Prega a palavra da sensatez, para que todos os seres possam viver em harmonia enquanto praticarem o bem uns com os outros.


Tharizdun – Deus da Escuridão Eterna, Destruição, Decadência e Loucura. A doutrina de Tharizdun consiste em destruir tudo e a todos, eventualmente até a si próprio. E por isso, ele foi aprisionado eras atrás por uma coalizão de divindades com o intuito de evitar a destruição do mundo.


Zuggtmoy – (ou Tsuggtmoy) é a Rainha Demônio dos Fungos e conhecida como o “pavor que caiu no 222º plano do Abismo e o moldou à sua vontade”. Apesar disso, não é uma “deusa”, mas uma criatura de extremo poder que controla um dos planos infernais.

Povos de Oerth


Humanos – Existem seis linhagens de humanos por essas terras. Por enquanto, preocupem-se as seguintes.

  • Bakluni – Com a pele de coloração dourada e olhos comumente verdes ou cinza esverdeado (tem muitos casos de tons puros cinza e castanhos). A cor de cabelo é sempre escura, mas varia entre preto à marrom escuro.
  • Oeridi – com tom de pele derivados do bronze, geralmente de cabelos loiros, castanhos ou ruivos, com olhos frequentemente castanhos ou cinza. Conhecidos por formar guerreiros ferozes e agressivos.
  • Suelita – São os que possuem a pele mais branca, sendo alguns quase albinos. Os olhos vão do pálido azul ou violeta para um azul intenso. Os cabelos assumem tons vermelhos, amarelos e platinas.


Svirfneblin – Linhagem de gnomos que vive nas profundezas da terra, em cidades subterrâneas. Acredita-se que seja uma das poucas raças das profundezas que segue o caminho do bem.