Artigo publicado em: 06/20/11 10:46 PM


RPG Indie – Uma Breve Introdução

Pessoal jogando o Indie 3:16 no Encontro D30 de abril

Com a divulgação semana passada do tema do nosso próximo Encontro D30 decidimos começar a publicar uma série de artigos falando sobre o mundo do RPG Indie. E nada mais justo que começarmos explicando o que é um RPG Indie.

O que é um RPG Indie?
Todo mestre de RPG já quis fazer seu próprio sistema. Os que existem não são maleáveis ou rigorosos ou adaptáveis no nível que o mestre quer, e ele cria um sistema próprio. Pronto, nasceu aí um RPG Indie, ou independente.

Pode ser um sistema inovador ou simplesmente uma ambientação nova num sistema genérico, como GurpsFateTwerps ou D20.

Geralmente eles são independentes porque foram publicados dessa forma, sem a ajuda e distribuição de uma editora de jogos. Muitos são distribuídos de forma gratuita, individual, ou através de pequenos estúdios.

Adaptação
Meu primeiro contato com RPG Indie foi na revista Superinteressante Edição Jogos. Naquela época tinha sido publicado um cenário que viria a ser o primeiro RPG de espionagem 100% Brasileiro: o “DEMOS Corporation” dos escritores Tarquinio R.M. Teles e Maurício C. do Amaral. Na revista foi publicado um resumo das regras e uma ambientação com o andar de um edifício. Seu personagem era um agente que deveria invadir esse prédio e recuperar de um cofre planos secretos. Era uma aventura curta, mas que dava margem para situações bem divertidas já que no local existiam alarmes, guardas, e tudo dependia da forma como você jogasse.

TRIAD
A aventura vinha com todas as informações para você jogá-la sozinho, mas mesmo assim comecei a mestrá-la para um grupo de amigos e fui aprimorando a história. De um andar, o prédio passou a ter dez andares, cheios de perigos e armadilhas. Eesta não foi a primeira nem última adaptação que criei, mas foi a inspiração para meu primeiro RPG Indie: TRIAD.

A TRIAD era uma agência paramilitar não governamental regida secretamente por tecnocratas que procurava investigar e pesquisar qualquer situação que envolvesse o paranormal, oculto ou alienígenas. Ela foi o primeiro passo, e logo depois vieram os esboços do projeto Lumine, mas isso é assunto para um outro artigo…

Acredito eu que nós, que adoramos esse jogo, temos nossos próprios projetos independentes, seja um cenário próprio, ou aprimorarão de regras existentes, afinal quantas vezes jogando você não se pegou pensando: – Se eu pegar essas regras do Storyteller e pegar um pouco desse outro sistema, talvez saia algo mais simplificado!

Comunidade
O que importa é que diferente dos RPGs tradicionais das grandes editoras,  esses são trabalhos de pessoas apaixonadas como nós que decidiram escrever seu próprio jogo e divulgá-lo para nossa grande comunidade. E essa a verdadeira motivação de quem faz o RPG Indie, mostra-lo para comunidade e quem sabe ser reconhecido por isso um dia.

Hoje temos inúmeras obras tanto nacionais como internacionais deste tipo de RPG.

Indie Brasileiro
No Brasil temos projetos independentes que estão ganhando relativo destaque como o Busca Final da Secular Games,  Malditos Goblins e Mighty Blade do Coisinha Verde e o Old Dragon da Red Box.

Outros projetos também podem ser encontrados no Garagem RPG, todos possuem suas regras prontas para impressão, o detalhe é que esses que citei aqui como exemplo todos possuem sua versão em PDF para download (no último caso gratuitos), uma outra característica dos jogos Indie, a versão impressa quase sempre está disponível para aqueles que curtiram primeiro o PDF, e querem incentivar o autor na criação de outros livros, ou até mesmo pagar pelas edições impressas que quem sabe virão!

Indie Internacional
Já no âmbito internacional as opções aumentam , existe até mesmo premiação anual de vários categorias de rpg Indie, essa premiação é chamada de “The Indie RPG Awards“, o link vale uma visita pois lá vocês encontraram os títulos que ganharam o premio tanto na categoria pago como a gratuita. Entre alguns dos títulos existentes podemos destacar: Cthulhu dark, Little Fears, ShotGun DiariesSpirit of the Century, 3:16 Carnificina nas Estrelas, Rastro de Cthulhu, Fiasco, Little Fears Nightmare Edition,  (ambos traduzidos ou em tradução para português pela editora Retropunk), Mouse Guard, Fudge System, Fate System.

E você tem um RPG Independente? Curte algum RPG Indie? O Grupo D30 quer saber, logo deixe um comentário nos detalhando sua experiência nesse universo.

Para os que se interessaram no assunto aguardem nosso próximo artigo, para os mestres que irão participar no nosso próximo evento faço um DESAFIO, escolha um destes RPG ou outro sistema independente, pode até mesmo ser um seu,  para mestrar no nosso evento em Agosto.

Qualquer dúvida ou esclarecimentos estamos a disposição.

Se Yahhh!!!

Mallien rpgista old school roots e indie por vocação

 

Sobre Mallien

Ricardo Souza escreveu 53 posts neste blog.

RPGista e Gamer por paixão, profissional de TI por profissão, nerd/geek por vocação e pai babão da pequena padawan e roleplayer in training Costela Maluka.

Comments

  1. Meu primeiro contato com rpg indie foi em uma aventura de Shotgun Diaries no proprio Encontro D30! Isso pq eu nem conhecia o termo na epoca.. Mas depois de adquirir e fazer um teste com 3:16 Carnificina Entre as Estrelas que eu resolvi seguir esse caminho de Mineração Rpgistica e encontrar todo tipo de rpg indie que tiver por ai.. e apresentar pros amigos!

  2. Eu devo ser uma exceção à regra, pois desses dois meses em que eu tive contato com o RPG, a grande maioria dos RPG’s que joguei são indies, e todos muito bons. O bom também é ver o Brasil se aventurando nesse cenário, já que o estudo de design de jogos por aqui não é tão fomentado.

  3. Novidades são bem-vindas, vamos ver como isso ocorrerá no evento

  4. Comecei a viciar em RPGs independentes recentemente, joguei Diaspora, Fate, Shotgun Diaries, 3:16, Old Dragon, Fiasco, Rastro de Cthulhu e consegui vários outros. São excelentes! Muito bom mesmo! Quem ainda não jogou algum desses vale a pena experimentar. Com certeza vou levar algum desses pra mestrar no próximo encontro.

    Quanto aos brasileiros existem uns muito bons também como Old Dragon, Terra Devastada, Abismo Infinito, Busca Final, entre outros.

    Existe um ranking de RPGs no site rpggeek.com(parceiro do boardgamegeek.com), e dos 10 melhores, 7 são indies, e uns 3 são baseados no sistema FATE(que está em alta ultimamente xD)

  5. Ótima iniciativa do d30. Projetos de RPGs idependentes podem ser descompromissados e livres para experimentações. Por isso mesmo,nos últimos tempos, as grandes novidades trazidas para nosso hobby acabam vindo dos indies. Em um cenário como o nosso onde RPG é praticamente sinônimo apenas de DnD, vale muito a pena tentar coisas novas.

  6. Hum… Fiquei com vontade de mestrar “Mouse Guard” alguem aí sabe onde tem uma versão em Pt-br?

  7. So uma coisa, no começo do artigo vem falando de ser o tema do proximo D30, mas e aew, ja tem data marcada?
    Ja to doido p/ jogar algum indie xD
    euheuhueh
    o/

  8. Pingback: Mighty Blade | D30

Leave a Comment