Artigo publicado em: 02/11/20 11:49 AM


The Black Hack + Hill Cantons

Olá jovens jogadores…

Há uma semana atrás tive uma experiência que a muito tempo não experimentava. Digo muito tempo, pois durante a juventude nos meus anos iniciais de Rolemaster, D&D e GURPs, era bem comum essa forma de jogatina.

Produzir uma campanha ou sessão do zero, em alguns instantes, com jogadores ao lado já aguardando. Você já fez isso? Eu não fazia a bastante tempo. Mas como isso tudo começou?

Como algo corriqueiro no RPG, tivemos um cancelamento de última hora na nossa tão amada sessão de DCC. Diante dessa surpresa e notícia (eu era apenas um pobre jogador esperando botar meu halfling em ação), os outros dois companheiros, que estavam online no instante da sofrida notícia, me pressionaram! Bora Tiago! Mestra algo agora para nós. Com pânico na voz e no pensamento, tomei meu famigerado Black Hack 2ed + um PDF do mundo de Hill Canton (What Who Frog Demons) e comecei. DO ZERO… Com os jogadores me aguardando.

Entretanto, nesse instante veio a magia do RPG, tomar conta de tudo. Com a rápida produção de dois personagens — um cavaleiro com documentos secretos a entregar + um mago- sobrevivente de uma batalha e caminhando nas artes da magia- que havia a pouco tempo encontrado um livro estranho, começamos nossa empreitada.

Como esses dois personagens surgiram? De uma simples escolhas de classes por parte dos jogadores e uma simples rolagem de cada um em uma tabela de antecedentes. Permiti que os mesmos só descrevessem uma linha relacionada ao que tiraram. O resultado está acima! Como costurar esse inícios? Não faço a menos idéia… Deixa acontecer NATURALMENTE e seja o que o deus ortodoxo do sol quiser (divindade desse cenário).

Mais umas rolagens de dados e uma sucinta produção, via tabelas e aleatoriedade, produzi alguns HEXES iniciais. E perguntei (claro com background praticamente zero) onde você está Gilbert (o guerreiro nobre com uma missão ingrata)? — Estou de frente a um mausoléu recém entupido de novos corpos. E ondem você se encontra Petir (o sobrevivente, curioso de magias e livros)? — Estou saindo do meio de corpos que foram abandonados de uma batalha de pouco tempo, saindo da porta do mausoléu.

Pronto! O encanto se fez! Palavras chave como MAUSOLÉU e BATALHA e ENTREGA DE DOCUMENTOS geraram uma campanha (do nada) muito interessante e frutífera! Claro que a pergunta certa, juntamente com o envolvimento dos jogadores fizeram toda a diferença.

Talvez algo assim não aconteça contigo. O segundo jogador resolve descrever um local completamente fora do mausoléu inicial que foi descrito, somente para ver o circo pegar fogo. Nesse caso tenho um simples conselho que já se tornou frase de sabedoria aqui em Brasília — AMIGOS MELHORES. Nenhum mestre ou jogadores conseguem salvar uma sessão ou campanha diante de um ser das trevas, vaca de presépio, espírito de porco. E sinceramente, no alto das minhas brabas grisalhas, não sei até que ponto vale a pena fazer malabarismos diante de situações como essas…

Continuando! Pois tenho excelentes amigos e criativos jogadores!

… Mais alguns instantes para apenas adaptar os HEXES criados a essa nova informação (MAUSOLÉU, BATALHAS, DOCUMENTOS e afins) e c´est fini! Nada como boas tabelas, jogadores empolgados e criativos, que pretendem construir um agenda positiva de narração.

E basicamente, algo que não experimentava durante um tempo, devido a apreensão e mania de um certo planejamento nas campanhas, se tornou um momento de coragem, encanto e redescobertas. Rapaz! Se preparar é importante, mas as vezes um pouco de dedicação dos jogadores, improviso, tabelas e mente aberta, não fazem mal para ninguém e nenhum mestre.

Gilbert, com o peso nas costas diante de suas obrigações e Pertir sobrevivente de um terrível massacre, lutam juntos para ultrapassar uma difícil jornada ruma a OSTROV, onde papeis devem ser apresentados, todavia, o caminho não será fácil, pois trilham estepes cobertas de sinais de batalhas terríveis entre exércitos que os mesmos não conseguem ainda compreender. Um interessante destino começa a se traçar diante de dois caminhantes que as três horas atrás não sabiam nem o que iriam jogar. E o resto dessa exploração/sobrevivência/missão?

Não se preocupe que muitas outras narrativas + rolagens interessantes já aconteceram e nos próximos dias deixarei todos mais a parte de tudo.

Sobre Tiago Rolim

Tiago Rolim escreveu 4 posts neste blog.

Leave a Comment