Fizemos o playtest de D&D Next

Jogamos esses dias o playtest do D&D Next, ou da 5ª edição, como alguns estão chamando, o que pode vir a ser a nova edição do jogo preferido de muitos de nós! E será que você vai gostar? Bem, depende…

Se você é um fã do jogo, já deve estar excitado com toda a discussão sobre a nova edição, e provavelmente também jogou as Cavernas do Caos, aventura preparada para o playtest. Isso já diz muita coisa sobre o que eles querem, eles estão mirando em todo o espectro, dos fãs de old-school, como Old Dragon, aos fãs de Tormenta, o novo d20 3.75 D&D brasileiro.

E não é pouca coisa, tentar atrair gente que ainda joga 1ª e 2ª edição, que são na prática a mesma coisa, qualquer versão da 3ª edição, ou a nova 4ª, Essentials. Esse é um jogo que tem feito edições mais que qualquer outra coisa, não concordam?

Algumas coisa para agradar cada tipo de fã. Primeiro a sensação old-school, com a aventura de Gary Gigax e monstros clássicos. Depois, os nomes de algumas habilidades, como as de ladrão, com a volta do bom e velho find/remove traps. Isso agrada a velha guarda do D&D.

Mas o coração do sistema é a 3ª edição. Não tem skills organizadas ainda, mas essa é a parte que mais me desagrada na 3ª edição, então, um ponto a mais pra mim. Os feitiços são decorados, bem mais próximos ao que estávamos acostumados, e nada de poderes, o que mais gerou discórdia na 4ª edição, e mais fez o jogo se parecer com um tabuleiro.

Só que algumas das coisas mais legais do playtest vêm da 4ª edição. As skills são ligadas a um background, e os feats são ligados a um tema, bem parecido com o D&D Essentials. E isso fez os personagens ficarem realmente legais. Magos fazem feitiços at-will, poucos, mas fazem, e guerreiros têm mais poder em bater, pelo menos aquele slayer, que é um barato!

Essa coisa modular, do background e do tema, é legal porque por um lado monta uma história pro personagem, e por outro dá uma razão para skills e feats, achei bem interessante. Acho que ali você pode conseguir dar bastante sabor ao jogo e variedade aos personagens, já que as rolagens são influenciadas por essas características.

Eles até colocaram um aviso de que, se você quiser ser realmente old school, basta tirar esse tema e background do jogo. Vamos lembrar que o sistema de Proficiências da 2ª edição sempre foi opcional, assim como os Kits, e não existiam na 1ª edição.

Eles criaram um sistema de Vantagem/Desvantagem, que em vez de ser um bônus, é a rolagem de dois d20s. Se tiver vantagem, você escolhe o maior, e vice-versa. Mas sentimos falta de regras às quais ficamos apegadas, principalmente ligadas ao movimento, tipo Ataque de Oportunidade ou Passo de Ajuste.

Agora vamos aos fóruns da Wizards discutir as regras de Stealth, que nos confundiram! O ladrão foi a classe que mais mudou, tem bastante regras pras coisas que ele faz, porque esqueceram demais as armadilhas e tudo mais em todas as edições, e acho que as mudanças são pra melhor.

Perguntas, dúvidas, sugestões, escravam nos comentários! E quem quiser fazer esse primeiro teste do D&D Next pode acessar o site do playtest na Wizards.

 

 

Sobre ML

M L escreveu 131 posts neste blog.

Gosta de fazer intriga em seus jogos, botar medo nos jogadores, e está sempre à procura do sistema perfeito de RPG.

Comments

  1. Super divertido. Descomplicou bastante. Destaque para o sistema de vantagem e desvantagem, que dá um saborzinho a mais no jogo e parao background/tema, que permite um fastplay com personalização de personagens! Assino embaixo, Marcello. Acredito que o pessoal que curte Old Dragon e Tormenta vai mesmo curtir.

  2. O D&D Next, do jeito que está, tem muita coisa que desagrada o jogador Old school. Por exemplo, pontos de vida inflados, cura exagerada, magic missile infinitos… Acho que seria uma coisa que poderia ser modular também…

    E graças a deus que acabaram os ataques de oportunidade!

    1. Author

      o lance dos pontos de vida nunca me atrapalham, nunca fazíamos personagens de primeiro nível mesmo na 2a edição.

      acho que cada edição tinha um nível ideal, discutimos isso muito antigamente, a 3a era algo como 7, e a 2a era mais ou menos 5.

  3. Olha, o D&D Next está legal mesmo. Não está um suprassumo, mas está legal. Mas ele não consegue suprir os desejos da galera Old School. Ainda há muitas coisas no jogo que são muito mais ligadas às edições recentes do ao estilo old shcool, como o próprio BIG apontou. Os personagens estão muito poderosos.

    Ah, e existem sim bastante diferenças entre o AD&D 1e e o 2e. Principalmente em relação às classes de personagens.

    Resumindo, D&D Next parece ser um bom jogo, mais parecido com o RPG que estou acostumando do que o D&D 4e. Mas para dar um veredito final vamos precisar ver muito mais coisa. Quero saber da criação dos personagens e o quão passível de abuso são os themes e backgrounds.

    1. Author

      se tem uma coisa que eu acho acertada na 4a edição é os personagens serem poderosos de começo. eles são heróis, pô, não deviam apanhar de qualquer kobold… já de muitos kobolds, podem! 🙂

  4. Um excelente review sobre essa versão. Ajuda bastante a ter uma noção
    do que esperar das mudanças. E fica mais “didático” pelo amplo conhecimento nas outras edições, pois os jogadores compreendem melhor as alterações e inovações. Muito bom artigo, parabéns.

    Ah, e se eu soubesse que o clérigo era para o playtest, teria tido a dor de barriga ML!! hahahahahaha

  5. Author

    um pensamento sobre magic missile infinito…

    por que o mago não pode ter ataques mágicos a todo round, se o guerreiro pode bater com a espada todo round?

    me lembro dos magos de primeiro nível, grandes especialistas em funda e adaga… 🙂

  6. O que mais me agradou, por enquanto, é realmente o sistema de vantagem e desvantagem.

  7. O que mais gostei nesse playtest foi que a rolagem não escala com o nível.

    Na 3.5 e 4ª edição a gente começava rolando d20+6 contra a C.A. 13 do Kobold e terminava d20+49 contra a C.A. 60 do dragão.

    Já neste playtest, o que deu a entender que essa escala não sobe mais com o nível.

    O que isto significa? Que seu guerreiro de 1º nível tem C.A. 18 e seu guerreiro 20º nível com armadura mágica deverá ter C.A. 20.

    Assim, o guerreiro não vai entrar no meio de um exército goblin achando que vai escapar ileso. Por mias que tenha muitos pontos de vida, ele vai pensar duas vezes e vai respeitar mais criaturas mais fracas.

    Outra coisa importantíssima foi não vincular uma habilidade (skill) a um atributo. Assim, se você quiser ameaçar um inimigo com uma demonstração de força, pode rolar Força + Intimidação. Assim dá muito mais vazão a interpretação e a pensar com criatividade.

Leave a Comment