Saiba como foi o 72º Encontro D30 – Mentira!

Vai chegando o aniversário de 15 anos do D30, e eu ainda consigo ficar surpreso e genuinamente emocionado com alguns acontecimentos pelos Encontros. E neste último, que teve o tema a “mentira”, não foi diferente. Mas antes de tudo, o embrião desse evento foi a longa troca de xp que rolou no grupo de Mestres do D30. 

E dizer isso é muito importante porque foi a grande empolgação dessa galera que fez desse Encontro um enorme sucesso, com mais de 20 mesas de diversos sistemas rolando ao longo do dia inteiro. Mas isso foi o resultado de mais de 40 dias, em que estivemos todos (organização, mestres e o pessoal do Sesc) preparando, debatendo e organizando cada detalhe para que nada pudesse interferir na jogatina. 

Logo antes do horário previsto para começar, já tinha a tradicional galera que chega cedo e acaba ajudando a arrumar o espaço. Logo depois, o lugar encheu tão rápido quanto uma mentira viajando pelo zap. E durante a tarde foi do mesmo jeito. Estive na organização pela maior parte do evento, e posso afirmar que ninguém ficou sem mesa, pois conseguimos alocar todo mundo em algum jogo (e teve mestre que colocou 7 pessoas).

Então se a gente fizer uma estimativa baseada na média de mesas cheias, tivemos algo por volta de 72 jogadores durante o período da manhã, distribuídos por 13 mesas. Pela tarde, foram aproximadamente 68 pessoas jogando espalhadas nas 11 mesas que rolaram. Além disso, nem todo mundo que esteve pela manhã ficou para o segundo turno, então é seguro afirmar que tivemos mais de 100 pessoas diferentes rodando por esse Encontro. Os números são importantes para dar a dimensão da coisa toda!

Mesmo quando achei que haveria gente sem jogar, já quase no fim, abri uma mesa de 3:16 Carnificina entre as Estrelas para detonarmos uns aliens antes de encerrar o dia. Mas essa mesa só foi aberta por dois motivos: primeiro que uma galera nova chegou apenas para conhecer mesmo, sem pretensões de jogar, e ficamos ali papeando numa conversa tão boa que me empolguei, mas principalmente porque esses jovens sedentos por aventuras chegaram até o Encontro D30 por uma indicação amiga de “ser um espaço seguro e acolhedor para todas as pessoas”. Tinha como eu não me emocionar e improvisar uma partida ali? 

Outra coisa super legal que aconteceu, ainda durante o período da manhã, foi um pai que chegou com seu menino de oito anos para que o jovem jogasse uma partida em grupo. Isso porque o garoto conheceu RPG com os colegas da nova escola e resolveu aprender a mestrar para além de narrar para o próprio pai. Eles pediram algumas indicações sobre o que jogar, então precisei passear com garoto por todas as mesas do evento para falar sobre tudo aquilo que estava rolando ali, antes dele ir se divertir na mesa da Turma da Mônica Jovem em Savage Worlds, narrada pelo Robson.

Isso é um resumo rápido sem citar cada um que fez e participou dessa jornada, pois toda vez que tento fazer isso alguém acaba de fora. Mas o importante foi subir de nível com a troca de experiências 🙂

 

E se você quiser participar do nosso grupo no whatsapp, acessa aqui!

 

 

Sobre Janary Damacena

Janary Damacena escreveu 162 posts neste blog.

Sempre interessado em narrações fantásticas e de horror, apreciador de boa interpretação e defensor da regra de ouro.

Leave a Comment